Igreja

Capítulo define rumos para o triênio


 

O Recanto Marista Medianeira, em Veranópolis (RS), acolheu mais de 100 pessoas, entre irmãos, leigos, gestores e colaboradores, que participaram, de 10 a 14 de dezembro, do 4º Capítulo Provincial dos Irmãos Maristas do RS. A assembleia teve como objetivos estabelecer as prioridades da atuação da Rede Marista para os próximos três anos (2013-2015) e dar posse ao provincial e eleger os membros dos conselhos provincial e administrativo.
Irmão Inacio Nestor Etges foi reconduzido ao cargo de provincial e presidente das três mantenedoras da Rede Marista. A posse ocorreu no dia 12 e, no dia seguinte, foram eleitos os seis irmãos conselheiros, que junto com irmão Inacio, vão governar e animar a província no próximo triênio. Os eleitos são os irmãos Evilázio Borges Teixeira, Sandro Bobrzyk, Claudiano Tiecher, Odimar Civa Fachi, Lauri Heck e Deivis Alexandre Fischer.
O capítulo contou com assessoria da irmã Márian Ambrósio, presidente da CRB Nacional; do irmão Josep Soterras, representando o superior-geral do Instituto, irmão Emili Turu; e de dom Orlando Dotti, bispo emérito de Vacaria, que presidiu as celebrações. “Queremos olhar para o horizonte que se abre e nos faz vislumbrar muitas oportunidades e desafios, tanto no exercício de nossa missão quanto no crescimento e na conversão de nossos corações, na ótica do espírito e da espiritualidade marista”, disse irmão Inacio.
Presentes em 79 países, os irmãos maristas são responsáveis por uma das mais importantes redes educacionais do mundo, com quase 200 anos de existência - 112 anos no RS. Nas 19 cidades do RS onde tem empreendimentos educacionais, a Rede administra 26 colégios e 10 unidades sociais e a PUCRS.


Juventude em missão


 

Reunida na sede nacional das Pontifícias Obras Missionárias (POM), em Brasília, a equipe responsável pela Campanha Missionária 2013 definiu, na semana passada, alguns pontos da campanha para o próximo ano, entre eles o tema “Juventude em Missão” e o lema “A quem eu te enviar, irás” (Jr 1,7b). Conforme ocorre anualmente, a Campanha Missionária dá continuidade à temática abordada pela Campanha da Fraternidade da CNBB, que em 2013 tem como tema a juventude.
Nos folhetos dos quatro domingos do mês missionário (outubro) ficaram definidos os seguintes temas: infância e adolescência missionária (1ºdomingo), motivações para a coleta (2º), Amazônia (3º) e Dia Nacional da Juventude (4º). E no material, especialmente no DVD, “o testemunho e o protagonismo dos próprios jovens deverão estar presentes, como meio de incentivar as missões, inclusive além-fronteiras”, salienta padre Camilo Pauletti, diretor nacional das POM.


Noviços capuchinhos recebem hábito


 

Após dois meses de noviciado, no dia 11 de dezembro a Fraternidade Formativa de Marau (RS), com a presença do vice- provincial frei Doraci Tártari, celebrou a vestição dos nove noviços, oriundos da província do Rio Grande do Sul e das duas vice-províncias - São Francisco de Assis e Madre del Divino Pastor.
“A celebração foi motivada pelo nº 33 das Constituições, que nos diz: ‘Lembremo-nos de que as roupas que vestimos devem ser sinal tanto de nossa consagração a Deus, de nossa minoridade e de nossa fraternidade’”, salienta frei Genésio Fracasso, mestre dos noviços. Com essa cerimônia, os noviços dispõem do hábito capuchinho que auxiliará na missão junto ao povo de Deus.


Padre João Panazzolo e irmã Gema Panazzolo celebram jubileu


 

No dia 13 de janeiro de 2013, em Nova Roma do Sul (RS), padre João Panazzolo e irmã Gema Panazzolo celebram solene jubileu - ele, 50 anos de ordenação; sua irmã Gema, 50 anos de vida religiosa, na congregação das Irmãs de São José de Chambéry. Haverá missa de ação de graças, às 10 horas, na igreja matriz e, ao meio-dia, confraternização no salão da comunidade N. Sra. de Caravaggio, Linha Fagundes Varela.
Naturais de Nova Roma do Sul, João nasceu em 1935, nono dos 12 filhos de Inocente e de Rosa Balestrin Panazzolo; Gema, a caçula, nasceu em 1941. João foi ordenado sacerdote no dia 13 de janeiro de 1963, por dom Benedito Zorzi. Pertence ao clero diocesano de Caxias do Sul. Como presbítero, desempenhou diversas atividades na diocese e no país. Entre os trabalhos realizados, destaca-se o de assessor da Comissão Episcopal de Pastoral da CNBB, durante oito anos, e diretor nacional das Pontifícias Obras Missionárias (POM), por 11 anos. Desde 2009 atua em Paraí. Publicou artigos em revistas nacionais e internacionais e escreveu diversos livros.
Irmã Gema emitiu os primeiros votos em dezembro de 1963. Formada em pedagogia, centrou seu apostolado como educadora, principalmente no Mato Grosso do Sul e na Amazônia, exercendo inclusive atividades junto aos índios, aos sem-terra e às comunidades ribeirinhas da Amazônia. Neste ano voltou ao MS, atuando na CPT e atendendo os assentamentos.
Para homenagear os dois jubilandos, a Educs publicou o livro “Viver, amar e servir”, obra de 500 páginas, organizada por padre Paulo César Nodari, com a participação de renomados escritores e amigos.


Quando tudo volta a ser igual a ontem, quando se repetem as datas e festas numa mesma ação ritual sem alma, quando passa o calendário sem deixar rastr


Evento realizado pelos freis reforça o sentido do Natal cristão

 

Ajudar as pessoas a resgatar o amor, o afeto, a amizade, a emoção, a esperança. Esse é o legado que os capuchinhos, através da realização do Natal na Praça, oferecem a todos os que buscam, na imposição das mãos e nas palavras de conforto, um alento para dias melhores. Realizado desde 2004 na praça Dante Alighieri, no centro de Caxias do Sul, o evento já é uma tradição na cidade, atraindo milhares de pessoas.
Não foi diferente a 9ª edição, na quarta 12. Apesar da chuva que caiu ao longo do dia, mais de dez mil pessoas buscaram a bênção dos freis na praça. “A chuva atrapalhou um pouco, mas também foi bem-vinda (a região enfrentava um começo de estiagem), pois caiu como bênção e graça de Deus, fertilizando a seara do Natal”, disse frei Renato Zanolla, um dos idealizadores e coordenadores do Natal na Praça.
Frei Mário Noel, haitiano que cursa filosofia na UCS, entre uma bênção e outra, disse ao CR que essa busca é “um sinal de fé, de paz e de alegria. As pessoas partem mais leves, mais risonhas, mais iluminadas”. Adilo Bisinella, 60 anos, confirma as palavras do frei. “A bênção me reanima, me renova. Saio daqui mais aliviado, até das próprias dores físicas”, diz Adilo, que já participou de diversas edições.
Letícia Menegon, 23 anos, destaca que a bênção “é importante para uma boa preparação ao Natal, pois nesta época do ano a gente está mais sensível espiritualmente”. “É uma graça para o povo e um momento de fé, pois as pessoas mostram que acreditam em Deus e buscam uma vida melhor”, completa irmã Zelinda Eberle que, junto com a mana Lourdes, aproveitou para assistir aos shows.
Dom Alessando Ruffinoni fez a abertura e o encerramento do 9º Natal na Praça. Ao longo do dia ocorreram diversas apresentações, como a do grupo Stela Alpina, da Banda Santa Cecília, do tenor paulista Giovanni Marchezelli, radicado em Caxias, de Ines Rizzardo e da Banda Florentina.